#StopAsianHate – Aumento explosivo de crimes de ódio contra asiáticos

Não para de crescer no ocidente os crimes de ódio contra asiáticos, ainda que a origem da pandemia explique parte desse processo, os discursos políticos, principalmente dos líderes de extrema direita inflamam a população e criam um desejo inexplicável de vingança. Nos EUA isso é particularmente perigoso, devido à guerra geopolítica com a China e os discursos asquerosos de Trump que colocam os chineses como os novos vilões do mundo.

É impressionante como o ódio da população está sempre intrinsicamente ligado ao posicionamento dos seus líderes, em especial para a população estadunidense que está sempre sendo bombardeada por todo aparato estatal e midiático de que são superiores, que precisam salvar algum canto do mundo, e por isso, o inimigo está sempre por perto.

Gosto sempre de lembrar o patético histerismo da população quando a França não apoiou na ONU uma intervenção no Iraque no cenário pós World Trade Center. Era comum ver pessoas pedindo para mudar o nome das batatas fritas (French Fries) para outros nomes que tirassem o “French” e até pessoas indo em mercados, comprando vinhos franceses caros e os jogando na rua como forma de protesto.

É esse um dos resultados diretos dos discursos irresponsáveis de líderes medíocres, e aqui não me restrinjo ao Donald Trump, bom deixar claro que xenofobia e estereotipação fazem parte do procedimento histórico padrão que a bipartidária máquina de guerra estadunidense produz para ter aceitação popular em suas aventuras assassinas ao redor do mundo.

Como a divulgação de atentados terroristas é infinitamente menor quando se trata de atiradores brancos às minorias discriminadas, é bom avisar que terça-feira (16/03) um rapaz da Georgia entrou em um spa e atirou em oito pessoas, praticamente todas mulheres asiáticas. Ainda que a motivação desse atentado específico não tenha motivação clara, os ataques tem sido recorrentes:

https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2021/03/16/tiroteios-deixam-sete-pessoas-mortas-na-georgia-diz-tv.htm

Hoje (18/03), uma senhora asiática foi agredida com um soco no rosto por um rapaz, que acabou sofrendo um revide e levando a pior, mas segundo a matéria, ele já havia agredido um senhor asiático na rua antes:

https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2021/03/18/asiatica-de-70-anos-reage-a-soco-e-deixa-agressor-ensanguentado-nos-eua.htm

Em fevereiro a NBC fez uma matéria relatando diversos casos em todo território:

https://www.youtube.com/watch?v=9fLxrPxShDY

A BBC fez uma extensa matéria sobre o tema relatando a morte de um idoso tailandês que foi assassinado ao ser jogado com violência no chão, um filipino que sofreu cortes no rosto, uma chinesa que atearam fogo em seu corpo e tantos outros relatos assustadores:

https://www.bbc.com/news/world-us-canada-56218684

O grupo de defesa Stop AAPI Hate disse que recebeu mais de 2.800 relatórios de incidentes de ódio dirigidos a asiático-americanos em todo o país somente em 2019, ou seja, antes da covid19. Não bastasse esse crescimento estrondoso em 2019, com a pandemia tudo piorou, o aumento foi de 1900% em 2020 segundo o departamento de polícia de Nova York.

https://vogue.globo.com/atualidades/noticia/2021/03/pandemia-de-covid-19-faz-agressoes-contra-asiaticos-aumentar-em-1900-em-um-ano-nos-eua.html

Como o Brasil virou os EUA com uma semana de delay, por aqui não é diferente, o aumento também tem sido significativo, segundo um monitoramento do Instituto Sociocultural Brasil-China (Ibrachina), agressão física até o final de maio foi apenas uma, mas verbal e preconceituosa na internet foram centenas de milhares, e claro, nem é preciso lembrar os que partiram das maiores autoridades do país.

https://projetocolabora.com.br/ods3/cresce-o-odio-contra-asiaticos/