Asean Mews!

Sim, vocês não leram errado, MEWS, para comemorar a marca de mil visualizações/audições dos nossos podcasts!!!!!!!!!!

E para celebrar, fizemos o tradicional giro de notícias abarcando todo o mês de março, e não apenas o tradicional semanal.

Aproveitem!!!!!!!!!!

#ASEAN              

1 – Efeito Cascata: Cerca de um milhão de trabalhadores de Mianmar podem ficar em situação ilegal na Tailândia caso a junta militar assim o desejar. Após protestos na Tailândia de mianmarenses contra o golpe, a preocupação de Bangkok é que isso desestabilize seu próprio país que também passa por um período de revolta popular e também se trata de uma junta militar com legitimidade em queda.

 

 

#BRUNEI              

Como de costume, sem grandes acontecimentos no pequeno sultanato!

 

 

#CAMBOJA            

1 – O Camboja expandiu o monitoramento governamental das mídias sociais para incluir aplicativos como TikTok, WhatsApp e Telegram para supostamente evitar o espalhamento de notícias falsas sobre a covid19. Desde 2017, o primeiro-ministro Hun Sen vem reprimindo a mídia independente, seu governo forçou o fechamento do Cambodia Daily, um grande jornal independente, e silenciou outras 32 rádios independentes. Em 2018, o Camboja anunciou que todo o tráfego doméstico e internacional da Internet passaria pelo centro de gerenciamento de dados estatal, a popular censura.

2 – Camboja cancela movimento militar conjunto com a China. O motivo oficial foi economizar em tempos pandêmicos, mas o que está por trás mesmo é um movimento de acenar ao governo Biden e ver o que ele tem para oferecer. O movimento é similar ao que o próprio Camboja fez com os EUA em 2017 encerrando uma parceria militar de 7 anos visando agradar aos chineses.

 

 

#CINGAPURA         

1 – Polícia detém homem que planejou um ataque com faca contra judeus. As autoridades disseram na quarta-feira que um homem local de 20 anos, que cumpria o serviço militar obrigatório nacional, foi detido indefinidamente por causa de seu plano de matar três judeus quando eles deixaram uma sinagoga local.

O Departamento Interno de Segurança, um órgão de inteligência do país, disse em um comunicado disse que o suspeito foi detido no início deste mês depois que o Ministério da Defesa o alertou para a possibilidade de que ele pudesse se radicalizar.

Ele também fez planos para viajar a Gaza para se juntar às Brigadas Ezzedeen al-Qassam, a ala militar do governo do Hamas na Palestina. O departamento disse que o rapaz ficou furioso “porque os judeus estavam prosperando pacificamente em Cingapura enquanto os palestinos estavam sofrendo no exterior” depois de assistir a um documentário exibido na emissora local CNA.

 

 

#FILIPINAS          

1 – A polícia invadiu casas e escritórios de nove ativistas no fim de semana, causando nove mortos e prendendo seis. Especialistas em direitos humanos afirmam que o incidente segue um padrão de mortes sangrentas e abusos de autoridade em toda a administração do presidente, que termina em junho do ano que vem.

O chamado domingo sangrento teve uma curiosidade: a operação seria para combater comunistas, mas no norte do país, enquanto a resistência comunista armada se concentração nas florestas do sul. Segundo a polícia armas e granadas foram apreendidas. Curiosamente (ou não) um rival político do presidente foi morto.

2 – Putinização internacional: fortes rumores no país de mudanças constitucionais supostamente para melhorar a economia, e com isso, possibilitar o presidente a um novo mandato. Outra forma de continuar no poder seria eleger sua filha, que atualmente é prefeita da cidade de Davao, no sul do país. Com a aprovação de Duterte beirando aos 90% não é difícil imaginar que ele consiga essa manobra.

 

 

#INDONESIA          

1 – Indonésia pede cúpula especial da Asean com aumento dramático do número de mortos em Mianmar, o número passa de 200. O presidente da Indonésia, Joko Widodo, está propondo uma reunião de todos os líderes da Asean, a Malásia já concordou. Muitos são os vídeos de forças policiais atirando contra manifestantes com armas de fogo.

O escritório de Direitos Humanos da ONU disse esta semana que cerca de 37 jornalistas foram presos e outros dois foram detidos na capital. A BBC confirmou hoje (19/03) que um repórter da sua emissora está desaparecido após ser levados por homens não identificados.

 

 

#LAOS               

1 – O programa de lançar a primeira ferrovia nacional do país ainda esse ano segue a todo vapor, estima-se que o projeto esteja 95% concluído. A ferrovia está prestes a causar uma grande mudança na economia do Laos, pois será, de longe, o meio de transporte mais rápido do país. Os trens de carga e de passageiros viajarão a 160 quilômetros por hora, ligando cidades e comunidades que agora são conectadas apenas por estradas sinuosas e mal conservadas

2 – No início desta semana, o governo do Laos e uma empresa majoritariamente chinesa assinaram um contrato de concessão de 25 anos que permite à empresa construir e administrar grande parte da rede elétrica do país. O acordo vai aprofundar o envolvimento da China na meta do governo do Laos de se transformar na “bateria do Sudeste Asiático”, o investimento total será de US$2 bilhões e acontece durante secas dos rios locais, principalmente do Mekong.

 

 

#MALASIA            

1 – O governo da Malásia anunciou uma parceria com a Huawei para criar o primeiro laboratório de segurança cibernética no sudeste da Ásia. A nova iniciativa é uma colaboração entre a Huawei e a CyberSecurity Malaysia, a agência de segurança digital do governo, bem como a Celcom Axiata, uma das maiores empresas de telecomunicações do país. O impulso da segurança digital da Malásia é parte de seu plano para construir uma infraestrutura 5G, um passo importante à medida que sua economia digital continua a crescer.

O governo também reconheceu que precisa melhorar as habilidades digitais de sua força de trabalho, o setor de tecnologia é o maior do Sudeste Asiático, respondendo por 30% da economia digital da região, mas uma pesquisa recente da Huawei descobriu que quase metade das pequenas e médias empresas do país não tinha nenhuma habilidade digital.

Mês agitado no judiciário malaio!

2 – Um homem venceu o primeiro desafio legal do país contra as leis islâmicas que proíbem o sexo gay, uma vitória saudada como “progresso monumental” no combate à perseguição à comunidade LGBT no país. A Malásia é multiétnica tem um sistema jurídico de duas vias, com tribunais islâmicos tratando de alguns assuntos para cidadãos muçulmanos e leis da sharia definidas por estados individuais.

Mas as leis locais não podem entrar em conflito com a legislação em nível federal, e a sodomia é um crime de acordo com o código penal nacional, embora raramente seja aplicada. Em sua decisão, o Tribunal Superior da Malásia ficou ao lado do homem que abriu o caso, que não foi identificado, alegando que o estado de Selangor não tinha poderes para fazer tal lei. Cerca de 60 por cento da população da Malásia é muçulmana

3 – O governo está apelando da decisão da Suprema Corte da semana passada suspendendo a proibição de publicações cristãs usando a palavra “Alá” para se referir a Deus. Para grupos muçulmanos isso pode gerar confusão nos fieis, que podem adotar outras religiões sem notar. O Ministro de Assuntos Religiosos prometeu fazer uma série de reuniões para debater o assunto, já autoridades de Sarawak, estado de maioria cristã, diz ser ridículo apelar contra uma medida dessas.

Ou seja, para um brasileiro pode parecer besteira, mas um país federativo multirracial como a Malásia são questões como essa que podem desestabilizar todo um país que já se equilibra em diferentes tipos de legislações para apaziguar diferentes demandas sociais.

4 – Um tribunal permitiu na terça-feira que grupos de direitos humanos contestassem a deportação de 1.200 cidadãos de Mianmar para seu país dilacerado pelo conflito político. Mais de cem pessoas que estavam para ser deportadas tiveram o procedimento interrompido também por decisão da corte. Entre eles, estavam ao menos 6 pessoas registradas na ACNUR, órgão da ONU que trata de refugiados, ou seja, a Malásia não podia deportá-los.

 

 

#MIANMAR            

1 – O ex-ministro das Relações Exteriores de Cingapura diz que o Tatmadaw (exército de Mianmar) é parte do problema, mas também deve ser parte da solução. Ele alega que forçar uma situação em que as pautas do exército sejam ignoradas poderá transformar o país numa Líbia ou um Iraque. Ele lembra que o país já possui diversos exércitos étnicos armados pelo seu território

2 – Fábricas chinesas estão sendo atacadas no país. Segundo estatal chinesa, 32 fábricas no centro comercial de Yangon em Mianmar foram atacadas no domingo, causando US $ 37 milhões em danos e deixando dois funcionários feridos, enquanto as forças de segurança lançavam uma repressão sangrenta contra os manifestantes que deixou dezenas de mortos. As cidades em que essas fábricas estão foi decretado Lei Marcial. Segundo manifestantes, o apoio chinês foi e é vital para a insurgência militar.

 

 

#TAILANDIA          

1 – Centenas de pessoas marcharam em Bangcoc e acenderam fogueiras cerimoniais em frente a um tribunal no sábado para protestar contra a lei de lesa majestade do país que está colocando na prisão os principais ativistas pró-democracia. Manifestantes estão sendo condenados há mais de 15 anos de prisão como uma tentativa de frear os protestos que começaram em julho.

 

 

#VIETNA             

1 – Mais um sinal da movimentação das potências em torno da China é a chegada de uma fragata francês no Vietnã essa semana. Em fevereiro, o ministro da defesa da França anunciou que um submarino de ataque nuclear francês e um navio de apoio que o acompanha haviam completado uma patrulha no Mar da China Meridional .

2 – O Vietnã anunciou sua candidatura para ingressar no Conselho de Direitos Humanos da ONU para o mandato de 2023-2025 do órgão. O país tenta aproveitar o momento em que seu soft power está em alta com a grande resposta durante a pandemia e a doação de muitas máscaras e luvas para diversos países em pleno primeiro pico da doença.

Obviamente que uma nação comunista de partido único enfrentará muitos obstáculos para conseguir o feito, o histórico de direitos humanos, liberdade de expressão e direitos de praticar livremente crenças e religião são quase inexistentes.

 

 

DICA DA SEMANA:

A dica da semana é o canal do youtube do grande professor de Relações Internacionais Maurício Santoro, ele disponibilizou diversas aulas sobre a China, do nascimento aos dias de hoje, imperdível!

 

 

 

Dia a dia muito corrido? Ouça todos esses posts enquanto faz suas tarefas:

Quer ainda mais informação com direito a enquete diária sobre o sudeste asiático? Siga o Insta:

Interesse em conversar sobre Relações Internacionais e política local? Bora twitar: