Asean News 42 – Dilema tailandês

#ASEAN              

1 – Após o atentado feito por um casal na Indonésia nas vésperas do Ramadã, apoiadores do ISIS em todo sudeste asiático pedem intensificação da violência, eles são mais fortes na Malásia e na Indonésia. A polícia prendeu oito suspeitos com ligações com o casal e encontrou um esconderijo de explosivos e materiais para a fabricação de bombas em Jacarta

2 – O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, receberá seus homólogos de quatro países marítimos do sudeste asiático nesta semana, intensificando as tentativas de Pequim de envolver a região na esteira dos esforços diplomáticos dos Estados Unidos e seus parceiros.

Os ministros das Relações Exteriores de Cingapura, Malásia, Indonésia e Filipinas foram convidados a visitar a China de 31 de março a 2 de abril. As reuniões são descritas como um sinal de “o amizade profunda e afinidade crescente ”entre a China e seus vizinhos no Sudeste Asiático.

Como nas primeiras incursões diplomáticas de Wang à região, o objetivo mais amplo das reuniões será posicionar a China como um parceiro duradouro e confiável dos países do sudeste asiático, em um momento em que a recessão pandêmica tornou a região mais dependente economicamente da China do que nunca. Ele sem dúvida enfatizará que o governo Biden, durante seus primeiros passos na diplomacia asiática, optou por focar na consolidação do Quad, e nos laços com aliados de tratados do Leste Asiático.

O que deve acontecer é o pragmatismo asiático seguindo em curso, os países da Asean seguirão tentando extrair o máximo possível tanto da China quanto dos EUA e seus aliados, como o recente acordo militar da Indonésia com o Japão.

#BRUNEI              

Sem notícias relevantes no período

#CAMBOJA            

1 – Empresário é filmado batendo em sua esposa, e segundo a opinião pública, a culpada é ela. A matéria não deixa claro sobre procedimentos legais e o que pode acontecer com o cidadão, apenas cita que eles se separaram.

De acordo com o Plano de Ação Nacional para Prevenir a Violência contra as Mulheres do Camboja para 2019-2023, lançado em janeiro, uma em cada cinco mulheres de 15 a 49 anos havia sofrido violência física pelo menos uma vez desde os 15 anos de idade. Apenas duas em cada cinco mulheres procuraram ajuda , com apenas 24% relatando isso por meio de um serviço formal.

2 – Fortes rumores que a Tesla vai abrir sua primeira loja no país. Em um esforço para tornar os veículos Tesla disponíveis em todo o mundo, a empresa começou a olhar para países com mercados mais modestos

#CINGAPURA         

1 – Impedidos de protestar, os birmaneses de Cingapura lutam pela democracia de seu país online, atualmente cerca de 200 mil vivem na cidade-estado. Em Cingapura é proibido protesto sem aval do governo, independente de haver ou não pandemia.

#FILIPINAS          

1 – Em fevereiro, Duterte ameaçou rasgar o acordo militar que o país tem com os EUA ratificado em 1999, o que acontece agora é que agora ambos os países vão sentar para conversar sobre alterações. A racionalidade por trás do movimento é que o presidente não gosta de algumas cláusulas, como a que proíbe soldados norteamericanos de responder por qualquer crime no território filipino enquanto não há reciprocidade sobre denúncias de filipinos nas cortes estadunidenses.

Outra reclamação é com a construção de ilhas artificais por parte da China em localidades que as Filipinas chamam de suas, o presidente diz que os EUA não tomaram as atitudes que deveriam.

2 – Filipinas impõe bloqueio de 1 semana em Manila para combater infecções por COVID-19. A ideia é segurar em casa os mais de 24 milhões de moradores da cidade e da região para evitar reuniões de Páscoa.

#INDONESIA          

1 – Domingo pesado na Indonésia: atentado terrorista contra uma igreja e explosão de uma refinaria

Mais sobre o atentado que já conta com mais de 20 feridos aqui:

https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2021/03/28/vinte-feridos-em-atentado-suicida-em-catedral-da-indonesia-no-domingo-de-ramos.amp.htm?__twitter_impression=true

Vídeos impressionantes do fogo na refinaria aqui:

https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2021032817223710-videos-mostram-grande-explosao-em-refinaria-de-petroleo-na-indonesia/

2 – O simples término de namoro do filho do presidente virou notícia no país todo, e os motivos são:
1 – Relações inter-raciais na Indonésia, onde a etnia chinesa representa menos de 2 por cento da população, são vistas com estranheza.

2 – Relações interreligiosas também não são comuns, ele é muçulmano e ela não. As estatísticas são escassas sobre os casamentos inter-raciais e inter-religiosos na Indonésia. Os dados coletados no censo de 2000 revelaram que apenas cerca de 1 por cento dos muçulmanos indonésios se casaram fora de sua religião. Embora os casamentos inter-religiosos sejam tecnicamente legais, na prática o cartório estadual não reconhecerá uniões que não tenham sido sancionadas em uma cerimônia religiosa – e a maioria do clero se recusa a casar com casais de religiões diferentes, a menos que os não crentes se convertam.

3 – Japão e Indonésia assinam acordo de defesa em meio ao expansionismo marítimo de Pequim. O ministro da Defesa indonésio, Prabowo Subianto, e seu homólogo japonês, Nobuo Kishi, assinaram o acordo em Tóquio após uma chamada reunião 2 + 2, da qual os chanceleres dos dois países também compareceram.

“Tive a honra de assinar um acordo de transferência de equipamento militar e tecnologia do Japão para a Indonésia. Acho que esta é uma história pela primeira vez nas relações bilaterais entre o Japão e a Indonésia ”, disse Prabowo durante uma entrevista coletiva conjunta posteriormente. Os detalhes do acordo de defesa não foram divulgados.

#LAOS               

Sem notícias relevantes no período

#MALASIA            

1 – Maior fornecedora de luvas cirúrgicas do mundo, a Top Glove, é acusada de trabalhos forçados e os EUA vão apreender milhares de produtos, as ações da empresa caíram 5% em poucas horas após o anúncio.

2 – Economia: PIB da Malásia recuperará entre 6% e 7,5% em 2021, prevê o banco central.

#MIANMAR            

1 – Greves gerais sendo planejadas no país quando o número de mortes está passando de 500.

2 – Mais de mil pessoas fugiram do país para a vizinha Índia e medo de guerra civil aumenta.

.

Do lado esquerdo: Mianmar, do direito: Índia

#TAILANDIA          

1 – Movimento pró-democracia e a insurgência no sul: Conforme movimentos a favor da democracia e de maiores liberdades civis e individuais aumentam, cresce também as demandas dos tailandeses do “deep South”, a região conta com movimentos separatistas armados.

Os três estados que contam com esse movimento Narathiwat, Pattani e Yala, desde 2004, milícias armadas e o exército federal se envolveram em conflitos que custaram mais de 7.200 vidas, cerca de 90% civis. O maior grupo rebelde é o Barisan Revolusi Nasional (BRN), um grupo separatista malaio, os muçulmanos malaios constituem cerca de três quartos da população nesses três estados. Estima-se que esse conflito já tenha custado US $ 8,6 bilhões nesse período.

Segundo militares locais, o mercado ilegal de petróleo, drogas e outros produtos tornam ainda mais difíceis as negociações de paz, a insurgência política acaba ficando em segundo plano. Outra problemática é que esse cenário é perfeito para que os militares continuem defendendo um orçamento de Defesa inchado e adotem posturas duras em todo território.

2 – “Os direitos humanos daqueles que fogem do golpe militar de Mianmar serão respeitados”, disse o primeiro-ministro Prayuth Chan-o-cha na segunda-feira, enquanto as autoridades locais confirmavam que várias centenas de refugiados entraram no país. “Conhecemos os problemas do nosso país vizinho e estamos considerando essas questões“, disse ele.
governo evita entrar muito no assunto por 3 questões:

1 – Evitar um êxodo para o país caso enfatize muito que vai abrigar os refugiados

2 – Não criar um tratamento ambíguo entre mianmarenses que pedem um governo democrático e os próprios tailandeses que também possuem essa pauta, o que pode inflar o movimento interno.

3 – Um dos três pilares da ASEAN é justamente a não-interferência em assuntos internos dos vizinhos.

3 – A globalização dos hipsters: Cafés na Tailândia viram centro de selfies. “Cafehopping”, como eles o chamam, não é apenas uma hashtag do Instagram; é um esporte nacional. Armados com tripés portáteis e equipamento fotográfico semiprofissional, milhares de tailandeses vão aos cafés de luxo de Bangkok todos os fins de semana para posar em frente a letreiros de neon e paredes coloridas.

#VIETNA             

O Vietnã deve ser mais proativo na governança global?
Como uma potência emergente e em ascensão nos assuntos internacionais, o Vietnã está potencialmente bem posicionado para ajudar a reconstruir o sistema de governança global que foi paralisado pelo aumento das tensões das superpotências e o surto da pandemia COVID-19.

O envolvimento efetivo nas atividades de governança global se encaixa nos objetivos declarados da política externa do Vietnã. O relatório político apresentado no 13º Congresso Nacional do Partido Comunista Vietnamita (VCP) em janeiro afirma que o Vietnã permanecerá como membro responsável e proativo da comunidade internacional e buscará ser um parceiro confiável para outros estados. O relatório também enfatiza que um dos principais objetivos da política externa vietnamita é facilitar a integração econômica internacional.

Assim, o país pode ser melhor visto pela comunidade internacional e também levantar interesse sobre seus problemas internos, principalmente sobre as mudanças climáticas que já impactam sua produção.
Outras mudanças positivas já estão acontecendo naturalmente, como o EVFTA com a União Europeia, o Vietnã se comprometeu a lidar com as questões ambientais a fim de garantir que seus negócios e produtos atendessem aos padrões da UE

DICA DA SEMANA:

 

 

Dia a dia muito corrido? Ouça todos esses posts enquanto faz suas tarefas:

Quer ainda mais informação com direito a enquete diária sobre o sudeste asiático? Siga o Insta:

Interesse em conversar sobre Relações Internacionais e política local? Bora twitar: