Asean News 21 – O programa de desradicalização de terroristas na Indonésia!

Iniciamos também um podcast! Vamos tratar dessas informações semanais e muito mais!

Relações Internacionais com foco no Sudeste Asiático e a multidisciplinaridade que esses temas implicam, sigam-nos, compartilhem, divulguem:

https://open.spotify.com/show/1JMrk64vdgkw3IEWOoXnvF

 

 

 

Notícias da semana – 27/06/2020 a 03/07/2020

 

#ASEAN

1 – O Japão e os membros do bloco do Sudeste Asiático manifestaram preocupações nesta quinta-feira sobre o aumento das tensões nos mares do sul e leste da China, à medida que a assertividade da China cresce e a ASEAN considera quando retomar as negociações com Pequim sobre um código de conduta geral sobre o tema.

O tema é uma das principais pautas da cúpula realizada esse final de semana.  “Em relação à questão do mar da China Meridional, os representantes dos países concordaram que a paz, estabilidade, segurança, segurança e liberdade de navegação e aviação na região precisam ser consideradas como a principal prioridade”, disse o vice-primeiro-ministro do Vietnã.

O Japão é parte interessada porque também enfrenta questões de direito ao mar com a China.

 

2 – O sudeste da Ásia está emergindo como o Vale do Silício da Ásia. Os parques de alta tecnologia da região e os promissores empreendimentos de nova tecnologia ressaltam a viabilidade da região como um novo foco de startups e investimentos. Esse setor tem um grande diferencial nessa região: a quantidade de jovens experientes em nesse tipo de mercado.

Outros fatores que contribuem para o futuro promissor são: mercado aberto ao segmento, estima-se que até 2050 haja mais de meio bilhão de clientes novos, mercado que perde somente para China e Índia e planos governamentais para o estimulo dos negócios.

Em tempos de pandemia, as dificuldades de investimentos são enormes e o mercado precisa de uma ação conjunta com o Estado para promover esse ambiente favorável.

 

3 – Na cúpula desse final de semana foi debatido também o turismo. Como de uma forma geral os países do bloco têm agido com boa eficácia contra o coronavírus, estudos sobre turismo interno no bloco estão sendo feitos. O primeiro-ministro da Malásia, é um entusiasta da ideia e a colocou em pauta.

O primeiro-ministro disse que, como a Malásia propôs em abril, a Asean deve formular um plano regional de recuperação econômica, pois os países da região estão lutando pela sobrevivência econômica. Segundo ele, se o bloco não proteger suas economias regionais, a maior disparidade no crescimento entre os países poderá prejudicar o objetivo do grupo regional de maior integração.

 

4 – E para fechar os 3 grandes assuntos da reunião, Malásia e Indonésia pressionam o bloco para se posicionar contra a anexação israelense de terras palestinas.

 

5 – Os níveis de água no maior rio do sudeste da Ásia podem estar no seu nível mais baixo em um século. Baixas chuvas, altas temperaturas e regulamentações precárias de barragens estão contribuindo para a baixa histórica, afetando vidas, as indústrias agrícolas e de pesca da região

Esse entrave da ASEAN com a China é tão perene quanto as disputas marítimas. A China controla a nascente no Tibet, os outros países banhados por ele constroem barragens, e assim vai até chegar ao ponto do ano passado: seca histórica.

A imagem abaixo mostra a quantidade de barragem em todo seu comprimento:

 

6 – Curiosidade: após o inglês e o espanhol, idiomas asiáticos são os mais falados em alguns estados dos EUA: Vietnamise é obviamente o idioma no Vietnã, Tagalog é Filipino e Hmong é falando por mais de 2 milhões de pessoas entre Vietnã, Camboja e Laos.

 

 

 

#Brunei

1 – Medidas de relaxamento do isolamento social começam a tomadas no sultanato. A partir do dia 06, clubes, cinemas, mesquitas, praticamente tudo abrirá. Algumas pequenas restrições serão mantidas, como taxa máxima de lotação entre 50 e 80% a depender do setor.

 

 

 

#Camboja

1 – O ministro de Relações Exteriores e Cooperação Internacional disse em uma reunião informal dos ministros das Relações Exteriores da ASEAN que o Camboja permanecerá neutro no Mar da China Meridional. Ele pediu que  todas as partes interessadas que continuem promovendo um ambiente propício que contribua para o fim do conflito territorial.

“Na questão do Mar da China Meridional, o Camboja, um estado não requerente, deseja permanecer neutro em disputas territoriais, e esperamos que todas as partes envolvidas continuem a manter um ambiente propício para salvaguardar a paz, a segurança e a estabilidade na região”

 

2 – Camboja está na lista dos países mais suscetíveis à mudança climática. Cerca de 70% dos agricultores do Camboja se dedicam à agricultura de subsistência, tomando empréstimos e reembolsando-os principalmente após a estação da colheita. O setor agrícola é responsável pela geração de mais de 20% do PIB e emprega cerca de 30% da população. Enquanto a taxa de pobreza fica em torno de 10%.

O Programa Mundial de Alimentos declarou que 79% da população cambojana vive em áreas rurais e está na “linha de frente de uma mudança climática”. Inundações e secas têm sido frequentes e  ameaçam o sistema alimentar dos cambojanos.

 

3 – Bloco De Arenito Inscrito Em Sânscrito Antigo foi encontrado em um templo em Angkor. A pedra tem 100cm de altura, 40cm de largura e 20cm de espessura, com 55 linhas inscritas. Especialistas acreditam que o templo era um hospital do belíssimo Império Khmer que existiu entre os séculos IX e XIII, e que a pedra foi escrita no fim do séc XI e começo do séc XII.

 

 

 

#Cingapura

1 – O bloqueio parcial chamado disjuntor desde abril fez com que os moradores encontrassem no passeio noturno de bicicleta sua maior terapia. Clique e leia o belo relato de um jornalista da região.

 

2 – Com a previsão de encolhimento de 7% esse ano, a maior desde a independência. O centro financeiro é uma das economias mais abertas do mundo e geralmente é o mais atingido e o mais cedo durante qualquer choque global. O Private Banking espera que o PIB do segundo trimestre sofra o impacto total entre 15% e 20%.

 

3 – Acordo com o Mercosul sofre atrasos por causa da covid19 e da Argentina. Cingapura negocia um acordo de livre-comércio com o Mercosul, algo que pode ser expandido para toda a ASEAN caso o acordo seja frutífero no futuro.

O acordo visa cobrir questões relacionadas a acesso a mercados, regras de origem, micro e pequenas empresas, barreiras fitossanitárias, mecanismos de salvaguarda, comércio de bens e serviços, investimentos, simplificação de negociações, propriedade intelectual, comércio eletrônico e intercâmbio entre governos. O comércio entre os dois atingiu US $ 3,5 bilhões no ano passado.

 

 

 

#Filipinas

1 – Segundo um relatório da ONU, 122 crianças foram mortas na guerra às drogas entre julho de 2016 e dezembro de 2019, com grandes chances de ser um número ainda maior. O relatório de segunda-feira, intitulado “Como eles poderiam fazer isso com meu filho?”, Foi publicado em conjunto pela Organização Mundial contra a Tortura e pelo Centro de Desenvolvimento e Direitos Legais da Criança.

 

2 – Outra controversa lei no país é a nova Lei antiterror. Um professor foi preso sem mandato sem nada após publicar em uma rede social que pagaria para quem matasse o presidente, confirmando as suspeitas dos críticos que diziam que a lei seria usada para todos que são contrários ao governo. O juiz do caso disse que o governo violou seus direitos ao invadir sua casa e prendê-lo, negando a acusação de sedição, ele argumentou que embora desprezível, o autor da mensagem merece os direitos que a constituição dá.

 

3 – Relações Internacionais de alto nível: Após diversos embates com a administração Obama por conta de violações de direitos humanos e troca de farpas entre os presidentes, As Filipinas resolveram cancelar um acordo militar histórico com os EUA, uma cláusula obriga que essa retirada leve 180 dias após o cancelamento por uma das partes. E olhe que eles são seu terceiro maior parceiro econômico. Esse movimento foi visto como um aceno à China.

Acontece que a China não respeita a soberania nas águas que as Filipinas reivindicam como suas e ainda instalaram satélites nessas ilhas em questão, e não investiram no país o montante que prometeram. Foi aí que Duterte tomou a decisão de congelar o prazo de 180 dias para a retirada militar dos EUA.  Apesar de precisar tomar cuidado para não ser dragado totalmente pra dentro do conflito, são movimentos inteligentes e pragmáticos.

#Indonesia

1 – Quatro caçadores foram presos por matar um tigre de Sumatra criticamente ameaçado, os homens também tinham dentes e ossos de um urso do sol, acrescentaram autoridades em uma coletiva de imprensa. A polícia exibiu uma pele de tigre confiscada, juntamente com dentes e ossos retirados dos suspeitos. Em janeiro um homem foi pego tentando vender pele de tigre por US$6.400. A caça é responsável por quase 80% das mortes de tigres de Sumatra, eles estão sob risco de extinção com menos de 400 na natureza.

2 – A complexidade do programa de desradicalização de terroristas. A reabilitação bem-sucedida de ex-detentos terroristas é crucial para a segurança da Indonésia, regional e global. O sudeste da Ásia conta com diversas células radicais, inclusive algumas com laços com o Estado Islâmico. A indonésia em particular é alvo frequente de atentados e tem diversas células que reivindicam a sharia para todo o país.

O programa de reabilitação oferece diminuição de pena, visitas frequentes de familiares e até bonificação financeira para os detentos. Acontece que, muitos fingem que estão aceitando o programa para usar esse beneficio, seguindo inclusive um famoso líder terrorista da região. E outro caso curioso de tiro no pé, é o uso de ex terroristas famosos para trabalhar com os detentos, que em diversas ocasiões se transformaram em linchamento  e quase morte por serem considerados traidores.

Há também quem reclame que o governo não está repassando os valores prometidos para quem aceita o programa e que ao voltarem para as células possam receber alguma punição.

 

3 – A chegada de trabalhadores chineses e a velha cicatriz. Somente nessa semana, 156 trabalhadores chineses chegaram no aeroporto de Kendari e a previsão é que cheguem 500 ao todo. São cerca de 25 mil trabalhadores chineses no país e cerca de mil empresas. Impulsados pela Nova Rota da Seda e a política chinesa de juros menor, porém, com o envio de mão de obra local para suas obras.

Com a crise financeira e a diminuição de empregos, essa leva de trabalhadores teve que ser escoltada, porque manifestantes foram ao aeroporto protestar, mas a origem desse desentendimento é muito mais antiga, remete ao Império Holandês, que dividiu a sociedade em 3 partes: os europeus, os “orientais estrangeiros” – árabes, indianos e chineses – e, finalmente , as populações “indígenas” indonésias. E deu permissão aos “orientais estrangeiros” coletarem impostos, colocando os indonésios como raças inferiores.

As reclamações dos indonésios nos dias de hoje são pelos fatos de que os chineses não tentam se integrar na comunidade, não aprendem a língua nem os costumes e se isolam em bairros próprios. Os governos da China e da Indonésia precisam agir com mais cuidado, principalmente quando se trata de trabalhadores chineses. Ambos precisam garantir que os trabalhadores chineses, seus empregadores e os próprios governos não façam nada além da lei ou que possam causar um retrocesso nas comunidades locais.

 

 

 

#Laos

1 – Alta burocracia e baixa transparência fazem do Laos um país incapaz de atrair investimentos. No ranking do Banco Mundial sobre facilidade em negociar, o país está em 154º, mesmo com leis alterando a legislação e prometendo dar mais agilidade em 2017 e 2018 o país não consegue dar esse salto. Suas taxas de crescimento se dão pelo fato geográfico, fazer fronteira com cinco países em pleno desenvolvimento.

 

 

 

#Malasia

1 – A Malásia hospeda aproximadamente 180.000 refugiados, mas não lhes concede reconhecimento formal. Com a pandemia, a crise econômica e os freios do governo para diminuir esse fluxo, cresceu rapidamente movimentos xenofóbicos principalmente contra os refugiados Rohingias de Mianmar.

Essa onda de anti-refugiados também dificultou significativamente o trabalho não apenas do ACNUR, mas também de ONGs e ativistas humanitários mais amplos, de quem os refugiados são especialmente dependentes neste momento de escassez e privação

 

 

 

#Mianmar

1 – Milhares fogem na expectativa de operação militar onde houve confrontos entre o governo e rebeldes étnicos,  mais de 10.000 pessoas da área de operação fugiram de suas aldeias. O governo está envolvido há mais de um ano em um conflito intermitente com o Exército Arakan, uma força de guerrilha bem treinada e bem armada que representa membros do grupo étnico Rakhine da região.

 

2 – Eleições marcadas para 8 de novembro, um total de 1171 assentos nacionais, estaduais e regionais estará em disputa. Mais de 37 milhões de pessoas estão aptas para votar em 97 partidos diferentes. Desses  97, 79 são nacionais. A transição democrática do país ocorreu somente com as eleições de 2010, após mais de meio século de ditadura militar, e que, as eleições de 2015 são consideradas como o marco civil do país.

 

3 – Um deslizamento de terra em uma mina de jade deixou pelo menos 126 mineiros mortos, segundo autoridades locais. Ano passado um acidente parecido ocorreu deixando cerca de 50, infelizmente a baixa regulação e normas relativas à segurança do trabalho farão esse tipo de evento ocorrer mais vezes.

 

 

 

#Tailandia

1 – Quando menos é mais: O reino suspendeu a controversa lei que prevê 15 anos de cadeia para quem “difamar, insultar ou ameaçar o rei, a rainha, o herdeiro. parente ou o regente”. Para especialistas, a lei não muda em nada, afinal, o país vive uma ditadura militar com o aval do reino. Portanto, a liberdade de expressão continuará cerceada, agora apenas por baixo dos panos. Outro ponto comentado é o fato do monarca poder escolher outras punições, já que agora não precisa mais seguir uma lei previamente estabelecida.

Há também em questão aquela velha maquiagem para os olhos da comunidade internacional, tentando passar a imagem de um país mais democrático.

 

2 – Follow the Money, Tailândia mira dinheiro de drogas para achar os grandes barões. O comércio de metanfetamina na região é grande, muito dessa droga é produzida nas florestas intocadas de Mianmar, usam a Tailândia como corredor  e escoam para grandes mercados como Japão, Austrália e Nova Zelândia.

A polícia agora rastreia grandes transações para pegar os peixes grandes. US$ 5,4 bilhões estão sendo investigados de pertencer ao tráfico, desse valor, é certo que US$388 milhões seja de fato dinheiro sujo, que é lavado através de operações em ouro, zinco, barras de aço, criptomoeda e petróleo. A estimativa é que o tráfico de metanfetamina renda de 30 a 60 bilhões de dólares por ano.

 

3 – Governo estuda reabertura para alguns estrangeiros, incluindo o turismo médico, que é muito forte no país. Atualmente está em quarto lugar no mundo em termos de valor e atraiu um número crescente de chineses, especialmente para fertilização in vitro. A quarentena de 14 dias continuaria obrigatória, e a estimativa é de receber 30 mil turistas, o governo estuda abrir pubs e karaokês.

Houve 3.162 infecções por coronavírus e 58 mortes desde o primeiro caso em janeiro. O país que tinha um crescimento prevista de 7,6% antes da pandemia e agora projeta -8,1% está desesperado para ativar uma de suas maiores fontes de renda, o turismo. Ele representa cerca de 18% do pib, em 2019 foram 39,7 milhões turistas, cerca de 10,9 milhões visitantes chineses.

 

 

 

#Vietna

1 – Em meio à pandemia, economia cresce e surpreende. O PIB cresceu 0,36% em relação ao ano anterior quando a previsão era de queda de 0,9%. O país está focado em atrair investimento direto estrangeiro e se firmar como uma alternativa à dependência mundial da China.

 

2 – Vacina para a covid19 está fazendo um progresso significativo, produzindo resposta de anticorpos em testes com camundongos, indicando que uma possível vacina pode estar disponível não muito longe. Fruto de parceria entre uma empresa local estatal e a Universidade de Bristol, no Reino Unido. A estimativa é que a vacina leve de 9 a 12 meses para ser concluída

 

DICA DA SEMANA:

Matéria do Fantástico sobre as minas no Laos que matam cerca de 300 pessoas ao ano:

https://g1.globo.com/fantastico/noticia/2020/06/28/tradicao-de-risco-grupo-arrisca-a-vida-para-rastrear-bombas-terrestres-no-laos.ghtml