Asean News 45 – Reunião Asean x China com ecos em Mianmar

#ASEAN              

1 – O Times Higher Education Asia University Rankings avaliou o desempenho de 551 universidades de 30 países. As universidades foram avaliadas em todas as suas missões principais de ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectiva internacional para fornecer as comparações mais abrangentes e equilibradas disponíveis.

2 – O comércio ilegal de metanfetaminas cresceu fortemente no sudeste e leste da Ásia no ano passado, apesar das restrições de trânsito e de trânsito impostas por causa do surto de coronavírus, disse a agência antidrogas das Nações Unidas em um novo relatório divulgado na quinta-feira. As apreensões de metanfetamina bateram um recorde em 2020, aumentando em quase 20% em relação ao ano anterior.

A demanda por metanfetaminas no sudeste da Ásia parece ter crescido paralelamente ao aumento de sua disponibilidade, disse o relatório: “Apesar das quantidades recorde apreendidas em 2020, um grande número de países da região relataram novas quedas nos preços da metanfetamina, o que indica que o mercado continua a ser impulsionado pela oferta”, disse o relatório.

Embora o estado de Shan em Mianmar continue sendo a principal fonte de produção de metanfetamina na região, “há sinais crescentes de que o Camboja está sendo cada vez mais alvo da fabricação ilícita de metanfetamina em grande escala”, disse o relatório. Enquanto isso, o Laos, que faz fronteira com Mianmar, “tem sido cada vez mais alvo de trânsito e tráfico de metanfetamina e seus produtos químicos relacionados”

3 – Os ministros das Relações Exteriores da China e da Associação das Nações do Sudeste Asiático se reuniram nesta segunda-feira dia 8 para uma Reunião Especial em Celebração ao 30º Aniversário das Relações de Diálogo.

reunião no Município de Chongqing, sudoeste da China, foi presidida pelo conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, e por Teodoro Locsin, secretário de Relações Exteriores das Filipinas, que serve como atual coordenador nacional para as relações ASEAN-China.
O volume de comércio entre a China e a ASEAN saltou de menos de US$ 8 bilhões para US$ 684,6 bilhões, um aumento de mais de 80 vezes. Os intercâmbios de pessoal ultrapassaram 65 milhões em 2019 e há quase 4.500 voos entre a China e o Sudeste Asiático todas as semanas. Além disso, os dois lados trocaram mais de 200 mil alunos e formaram mais de 200 pares de cidades irmãs, informou o chanceler chinês.

Ressaltando que o Código de Conduta no Mar do Sul da China deve ser alcançado o quanto antes, Wang apontou que a China está pronta para reforçar o diálogo e as consultas com as partes interessadas no Mar do Sul da China, administrar adequadamente as diferenças e aumentar a confiança mútua. Ele também pediu que ambos os lados defendam o multilateralismo e trabalhem juntos para promover os valores asiáticos.

Os ministros das Relações Exteriores dos países da ASEAN estenderam felicitações pelo 100º aniversário da fundação do Partido Comunista da China, afirmando plenamente os resultados frutíferos alcançados desde que a ASEAN e a China estabeleceram relações de diálogo nos últimos 30 anos.
As relações ASEAN-China são as relações mais importantes e frutíferas entre a ASEAN e outras parcerias de diálogo, informaram eles, acrescentando que os países da ASEAN gostariam de trabalhar com a China para levar as relações ASEAN-China a um novo patamar.

#BRUNEI              

1 – A floresta de Brunei tem potencial para diversificação econômica, segundo Ministro de Recursos Primários e Turismo, Dato Seri Setia Awang Haji Ali bin Apong, em seu discurso sobre ‘Florestas e Biodiversidade: Revelando seu Potencial”Econômico’. Cerca de 72% do pequeno território do país é de mata preservada.

Diante do avanço da ciência e da crescente valorização da importância das Florestas e da Biodiversidade, as comunidades globais passaram a observar o uso desses recursos e a demanda por sua conservação e manejo sustentável. O ministro lembrou que a Ásia teve o maior ganho líquido de área florestal em 2010-2020 de cerca de 1,2 milhão de hectares por ano, entre índices e percepções do mundo de hoje, ele afirmou que o país vai investir em economia verde.

#CAMBOJA            

1 – Uma matéria interessante sobre o turismo e como ele deve ser encarado no Camboja. Em 2019, a província recebeu mais de 370.000 turistas apenas durante o feriado do Ano Novo Khmer. Mas, à medida que a pandemia fechava as fronteiras para enfrentar o impacto da crise na saúde, a indústria do turismo no Camboja quase entrou em colapso com mais de 75% de queda do turismo local.

A matéria traz mais dados e sugere como alternativa um turismo baseado na quantidade, e não qualidade e cita o exemplo do Butão, em que o foco é a sustentabilidade. O país chega a cobrar mais de US$ 200,00 na diária em alta temporada.

#CINGAPURA         

1 – Cingapura deve esperar reabertura gradual, dizem os especialistas. Apesar do sucesso da bolha de viagens com hong Kong, a cidade-estado viu a entrada da nova cepa indiana em seu território.

#FILIPINAS          

1 – Na quarta-feira, o governo filipino “condenou veementemente” os atentados à beira de estradas por rebeldes comunistas que mataram dois civis e feriram outros cinco durante o fim de semana. Um porta-voz dos insurgentes posteriormente pediu desculpas à família dos civis que morreram em uma das explosões, dizendo que eles não eram os alvos pretendidos e que o grupo tinha uma política de não atacar civis.

O uso de minas terrestres pelos rebeldes viola as leis internacionais que protegem os civis durante períodos de guerra. Após os ataques do fim de semana, as forças de segurança do governo intensificaram as ofensivas contra o NPA, matando três dos supostos guerrilheiros em um tiroteio.
Desde 1969, o NPA tem travado uma das insurgências mais antigas da Ásia. Atualmente, a força guerrilheira comunista é estimada em cerca de 5.000 combatentes e dividida em 80 frentes em todo o arquipélago filipino.

2 – O Banco Mundial reduziu sua projeção de crescimento para este ano, indicando que a recuperação econômica pode demorar mais do que o esperado. As Filipinas foram atingidas por um dos piores surtos de coronavírus da Ásia. O mesmo aconteceu com sua economia, que contraiu 9,6% no ano passado
O Banco Mundial cortou sua previsão de crescimento do PIB para as Filipinas em 2021, dizendo que provavelmente será menor do que o esperado em 4,7%, abaixo de sua projeção anterior de 5,5 por cento.
O PIB do país encolheu 4,2% no primeiro trimestre de 2021, uma contração mais severa do que se esperava. Isso aconteceu apesar do afrouxamento das restrições de quarentena. O desemprego subiu para 8,7% em abril, equivalente a 4,14 milhões de filipinos. A inflação atingiu 4,5% em maio, bem acima da meta do governo de 2% a 4%.

#INDONESIA          

1 – O governo indonésio traçou planos para acelerar drasticamente a distribuição de vacinas COVID-19 enquanto o país luta contra o surto do vírus, estabelecendo uma meta ambiciosa de 1 milhão de vacinações por dia no próximo mês. A Indonésia já é a nação mais afetada no Sudeste Asiático, tendo relatado 1,87 milhão de infecções e 51.990 mortes, e o quarto país mais afetado da região em relação à população.

Como muitos de seus vizinhos do sudeste asiático, ela dependeu fortemente das empresas chinesas Sinovac e Sinopharm, mas também garantiu embarques de vacinas da empresa americana Moderna e da britânica AstraZeneca.

Em janeiro, o governo iniciou sua campanha nacional para vacinar 181,5 milhões de pessoas ao longo de 2021, mas a implementação da vacina foi prejudicada por questões de abastecimento e logística. Em 8 de junho, apenas 18,26 milhões de indonésios haviam recebido pelo menos uma dose da vacina COVID-19, um número equivalente a apenas 6,68% de sua população. Problemas que têm dificultado a distribuição até agora: de pessoal médico limitado aos desafios colocados pela geografia insular dispersa do país.

#LAOS               

1 – Laos confirma 4 casos novos de covid19, e isso já foi motivo para sair nas notícias destaques de um dos seus principais jornais nacionais. A notícia ainda destaca “Após 1.410 testes nas últimas 24 horas, quatro casos de Covid-19 foram confirmados, elevando o número total de casos para 1.975.”. E ainda tem gente no Brasil que diz ser inevitável o alto número de casos e mortes.

#MALASIA            

1 – Mais crise política em um país em que a coalizão governamental está por um fio há muitos meses. Rei da Malásia começa reuniões com os principais políticos sobre a crise do COVID-19. O líder da oposição da Malásia, Anwar Ibrahim, exortou o rei na quarta-feira a não estender uma emergência de coronavírus, já que o monarca iniciou uma série de reuniões com líderes de todo o espectro político para discutir a crise do COVID-19 em meio à frustração pública.

O rei Al-Sultan Abdullah Ri’ayatuddin Al-Mustafa Billah disse a Anwar que precisava ouvir o primeiro-ministro na decisão de estender uma emergência nacional – que o monarca havia declarado em meados de janeiro – além da data de expiração em 1º de agosto, Anwar transmitido aos repórteres posteriormente. A constituição da Malásia declara que o rei “deve agir de acordo com o conselho do Gabinete ou de um Ministro agindo sob a autoridade geral do Gabinete, exceto se de outra forma disposto pela Constituição.

Será a segunda vez que os governantes se reúnem para discutir o assunto. Quando eles se encontraram pela última vez em outubro de 2020, eles rejeitaram o pedido inicial do primeiro-ministro Muhyiddin Yassin na época para declarar uma emergência para combater a pandemia. Até a última quarta-feira, a Malásia registrou 6.239 novos casos de COVID-19 para elevar o total acumulado do país a quase 634.000 casos desde que o vírus foi detectado aqui no início de 2020. Até o momento, 3.611 pessoas no país morreram da doença.

#MIANMAR            

1 – O governo paralelo de Mianmar rejeitou o apoio chinês à ASEAN para resolver a turbulência política na esteira do golpe de 1º de fevereiro, dizendo que o plano dos vizinhos consolidaria o controle militar do país. O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, expressou apoio à posição sobre Mianmar da Associação de Nações do Sudeste Asiático, de 10 membros, durante uma reunião especial com os ministros das Relações Exteriores do bloco regional em Chongqing na segunda-feira. “Apoiamos esforços conjuntos para explorar meios eficazes de aliviar a situação e resolver problemas dentro da estrutura da ASEAN”, disse ele.

Os Estados membros da ASEAN, chegaram ao “consenso de cinco pontos” em uma cúpula em Jacarta no final de abril. O líder golpista Gen. Min Aung Hlaing participou da reunião e endossou o consenso, que incluiu a nomeação de um enviado especial do bloco regional para Mianmar e um pedido para o fim imediato da violência. Mas o Governo de Unidade Nacional de Mianmar (NUG), formado por legisladores expulsos pelos militares em fevereiro, disse ao Serviço de Mianmar da Rádio da Ásia Livre (RFA) na quarta-feira que apenas restaura o status quo pré-golpe.

“Há uma grande diferença entre o que a ASEAN e a China dizem sobre o contexto político e o que queremos realizar”, disse o ministro das Relações Exteriores do NUG, Zin Mar Aung.
“O que a ASEAN e a China querem é voltar à constituição de 2008, e eles parecem estar pedindo um retorno à situação antes de 1º de fevereiro.

Mas a Constituição de 2008 acabou”, disse ela à RFA, à qual a BenarNews é afiliada. “Se voltarmos a 2008, os militares terão supremacia e isso não traria uma verdadeira democracia. Não pode haver uma verdadeira democracia federal nesses termos ”, o analista pró-junta disse à RFA que a China “apoiou Mianmar em várias ocasiões no passado. Podemos ver que eles desejam estabilidade. ”
O especialista em relações sino-Mianmar Min The disse à RFA, no entanto, que não acreditava que a China realmente apoiasse um retorno à democracia em Mianmar.

2 – No dia 3 de junho, o governo paralelo (NUG) divulgou um documento histórico de três páginas estabelece formalmente um conjunto de promessas e posições que marcam uma clara ruptura com o passado na relação entre o estado de Mianmar e a comunidade muçulmana apátrida Rohingya.

#TAILANDIA          

1 –A Tailândia deu início à sua tão esperada campanha de vacinação em massa COVID-19 no dia 07 de junho, enquanto as autoridades de saúde continuam a lutar para conter o surto mais sério da doença no país. O primeiro-ministro Prayut Chan-o-cha disse a repórteres na segunda-feira que o governo pretende aplicar 6 milhões de doses este mês, na esperança de aliviar as preocupações sobre o lançamento altamente antecipado e as preocupações com a escassez de suprimentos.

Com o aumento da pressão política sobre o ritmo lento da implantação, o governo foi forçado a buscar outras empresas além da já contratada. Em abril, anunciou que encomendaria até 10 milhões de doses da vacina Pfizer-BioNTech. Também anunciou planos para comprar a vacina russa Sputnik V , enquanto o governo da China forneceu 6,5 milhões de doses de Sinovac.

#VIETNA             

1 – O Ministério do Exterior vietnamita pediu às autoridades cambojanas que garantam o bem-estar das pessoas de origem vietnamita, depois que Phnom Penh ordenou na semana passada o despejo de muitas famílias em vilas flutuantes no rio Tonle Sap.

O porta-voz do ministério Lê Thị Thu Hằng fez a declaração na quinta-feira em Hà Nội em resposta a perguntas sobre o destino das famílias vietnamitas afetadas pela decisão. A comunidade cambojana de origem vietnamita é composta de pessoas de etnia vietnamita que se mudaram para o Camboja – principalmente na área do rio Tonle Sap – e vivem lá há gerações, sem documentos de cidadania vietnamita nem cambojana.

O governo vietnamita ainda fornece algum apoio para eles e frequentemente trabalha com as autoridades cambojanas para conceder papéis legais a essas pessoas. O lado cambojano reconheceu os pedidos de Việt Nam e disse que o governo cambojano continuará permitindo que estudantes e trabalhadores vietnamitas estudem e trabalhem no Camboja e proporcionando condições favoráveis ​​para que as pessoas de origem vietnamita desfrutem de meios de vida estáveis ​​neste país.

DICA DA SEMANA:

 

Sem dicas para o momento!

 

 

Dia a dia muito corrido? Ouça todos esses posts enquanto faz suas tarefas:

Quer ainda mais informação com direito a enquete diária sobre o sudeste asiático? Siga o Insta:

Interesse em conversar sobre Relações Internacionais e política local? Bora twitar: